BENEFÍCIOS DO USO DO PSYLLIUM

Síndrome Metabólica

O Psyllium é um suplemento de fibras bastante utilizado e bem tolerado, além de possuir vários benefícios. Um trabalho publicado por Pal e colaboradores (2012) mostra, em sua revisão, que a suplementação com Psyllium melhora os níveis de glicose e a resposta à insulina, pressão arterial, bem como o perfil lipídico em animais e seres humanos, reduzindo os fatores de risco metabólicos. Tem sido relatado, também, que o  apetite tem diminuido após o consumo de psyllium, na maioria dos estudos. Coletivamente, a suplementação de psyllium poderia ser promovido para pacientes que apresentam fatores de risco para Síndrome Metabólica, tais como hipertrigliceridemia, hipercolesterolemia e hiperglicemia. Pode também desempenhar um papel no controle do peso do corpo, composição corporal e a hipertensão (PAL, 2012).

pycUm estudo randomizado avaliou os efeitos da suplementação com Psyllium na sensibilidade a insulina e outros parâmetros da síndrome metabólica em uma população de 47 adolescentes saudáveis do sexo masculino, com alto índice de obesidade. Foi feito um estudo controlado por placebo cruzado. Logo, os indivíduos foram divididos em dois grupos (A e B), onde receberam 6g/dia de Psyllium ou placebo durante seis semanas, o Grupo A iniciou o tratamento com a fibra e o Grupo B com o placebo. Após duas semanas os participantes receberam a intervenção oposta por um período adicional de seis semanas. O perfil lipídico de jejum, pressão arterial ambulatorial, composição corporal, níveis de atividade, e os registros de três dias de alimentos foram coletadas no início e após a intervenção de 6 semanas (BOCK, 2012).

A adesão ao estudo foi elevada, 87% dos pacientes utilizaram mais de 80% das cápsulas prescritas. No início do estudo, 44% dos indivíduos estavam acima do peso ou obesos. A suplementação com a fibra levou a uma taxa de redução de 4% da gordura andróide em gordura ginóide (p = 0,019), bem como a 0,12 mmol/L de redução (6%) do colesterol LDL (p = 0,042). Não foram registrados eventos adversos associados. A utilização da fibra melhorou a distribuição de gordura e o perfil lipídico dos adolescentes (BOCK, 2012).

Constipação

Um estudo realizado com camundongos (in vivo) e,  jejuno e íleo isolados de coelhos (in vitro) determinou a base farmacológica da utilização medicinal da casca do Psyllium, em desordens da motilidade intestinal. Os resultados mostram que a casca possui um efeito estimulador do intestino, mediada pela ativação de receptores muscarínicos e 5-HT. A sua atividade inibitória no intestino pode ser mediada pelo bloqueio dos canais de Ca2+ e ativação das vias NO-monofosfato cíclica de guanosina. Isto pode esplicar o seu uso medicinal na diarréia. Este pode ser, também, um mecanismo de compensar seu efeito estimulante (MEHMOOD, 2011).

constipação 2

Quitadamo e colaboradores (2012) compararam a eficácia de uma mistura de fibras de acácia, fibra de psílio e, frutose (AFPFF) com polietileno-glicol 3350 combinado com electrólitos (PEG + E) para o tratamento de crianças com constipação funcional crônica (CFC), e para avaliar a segurança e eficácia da AFPFF no tratamento de crianças com CFC. O estudo envolveu 100 crianças (M / F: 38/62, com idade média ± DP: 6,5 ± 2,7 anos) que foram diagnosticados com CFC de acordo com os Critérios de Roma III. As crianças foram, aleatoriamente, divididas em dois grupos: 50 crianças receberam AFPFF (16,8 g por dia) e 50 crianças receberam PEG + E (0,5 g / kg por dia) durante 8 semanas. Foram avaliados a freqüência de evacuações, consistência das fezes, incontinência fecal, e melhoria de outros sintomas gastrointestinais associados. A segurança foi avaliada com avaliação de efeitos adversos clínicos e medidas de crescimento. As taxas de adesão ao tratamento foram de 72% para AFPFF e 96% para PEG + E. Uma melhoria significativa da constipação foi observada em ambos os grupos. Após 8 semanas, 77,8% das crianças tratadas com AFPFF e 83% das crianças tratadas com PEG + E melhoraram (P = 0,788). Nem PEG + E nem AFPFF causaram quaisquer efeitos secundários clinicamente significativos durante todo o curso do período de estudo. Ambos os medicamentos provaram ser seguros e eficazes para o tratamento de CFC, sendo a mistura de fibras uma boa opção (QUITADAMO, 2012).

 

Fórmulas : Clique Aqui

Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente aos profissionais habilitados a prescrever.

Para acessar as fórmulas é necessário solicitar a senha pelo email [email protected] ou para um de nossos Farmacêuticos.

A senha será liberada exclusivamente para profissionais habilitados a prescrever.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Bock, M. et al. Psyllium Supplementation in Adolescents Improves Fat Distribution & Lipid Profile: A Randomized, Participant-Blinded, Placebo-Controlled, Crossover Trial. PLoS One. 2012; 7(7): e41735.

Mehmood MH, et al. Pharmacological basis for the medicinal use of Psyllium husk (Ispaghula) in constipation and diarrhea. Dig Dis Sci. 2011 May;56(5):1460-71. doi: 10.1007/s10620-010-1466-0. Epub 2010 Nov 17.

Pal S, et al. Effects of psyllium on metabolic syndrome risk factors. Obes Rev. 2012 Nov;13(11):1034-47. doi:10.1111/j.1467-789X.2012.01020.x. Epub 2012 Aug 5.

Quitadamo P, et al. A randomized, prospective, comparison study of a mixture of acacia fiber, psyllium fiber, and fructose vs polyethylene glycol with eletrolytes for the treatment of chronic functional constipation in chilhood. J Pediatr. 2012 Oct;161(4):710-5.e1. doi: 10.1016/j.jpeds.2012.04.043. Epub 2012 Jun 5.

Compartilhe esse Artigo
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    2
    Shares

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.