Arquivo de Tags: tratamento da obesidade

Lactobacillus gasseri – Novo conceito para perda de peso

A obesidade está associada a alteração na microbiota intestinal. Diferentes espécies de lactobacillus estão associados a diferentes efeitos nas mudanças de peso. Vários estudiosos mostraram que o L. gasseri está associado com a perda de peso, comprovado por estudos realizados em humanos e animais (MILLION et al., 2012). O uso do Bifidobacterium ssp. foi  correlacionado com a melhora na tolerância glicose, na secreção de insulina induzida por glicose, e normaliza a inflamação (diminui a endotoxemia, citocinas pró-inflamatórias no plasma e no tecido adiposo) (CANI et al., 2007). Outro probiótico estudado é o L. plantarum que mostra redução da massa gorda, pela modulação da adipogênese em preadipócitos em maturação (PARK et al., 2011).

Quitosana e outros fitoterápicos – Papel multifuncional no combate a obesidade

A obesidade é uma doença crônica caracterizada pelo acúmulo de gordura nos adipócitos, frequentemente associada a diabetes tipo II, inflamação, hipertensão e doenças cardiovasculares. Estudos sugerem que a quitosana possui efeitos contra a obesidade. A quitosana é um polissacaríeo compreendendo copolímeros de glucosamina e N-acetilglucosamina (WALSH et al., 2013).

Zonisamida na terapia da Obesidade

A Zonisamida é um derivado benzoxazol, quimicamente não relacionado com outras drogas antiepiléticas. É atualmente licenciada nos EUA e Europa para o tratamento adjuvante de crises epiléticas em adultos, com diagnóstico recente. A Zonisamida exibe uma farmacocinética previsível, dependente da dose, com meia-vida de ~60h, permitindo uma administração diária de uma ou duas vezes (BRODIE, et al., 2012).

Influência da microbiota intestinal no desenvolvimento da obesidade

O filo bacteriano presente (composto por milhares de gêneros e espécies bacterianas) no corpo humano, inclui Actinobacteria, Bacteroidetes, Firmicutes e Proteobacteria (Tabela 1) (COREEN; JAMES, 2012).

 

Gymnema sylvestre no tratamento da Diabetes Mellitus

A Diabetes Mellitus é uma desordem metabólica causada por insuficiência ou ineficiência à resposta a secreção de insulina, e é caracterizada por elevados níveis de glicose no sangue. Existem três defeitos chaves para o aparecimento de hiperglicemia na DM, o aumento da produção de glicose hepática, diminuição da secreção de insulina, e ação deficiente da insulina. Os fármacos tradicionais para o tratamento da DM agem melhorando a sensibilidade à insulina, aumentando a produção e/ou diminuindo a quantidade de glicose no sangue. A Gymnema sylvestre (GS) age aumentando a secreção de insulina, melhorando a recaptação de glicose pelo tecido adiposo e pela musculatura esquelética, inibindo a absorção de glicose intestinal e inibindo a produção hepática de glicose (PRABHAKAR, et al., 2011).

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.