TRIMEBUTINA NO TRATAMENTO DE DISTÚRBIOS DO INTESTINO

Compartilhe esse Artigo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Trimebutina acelera o esvaziamento gástrico, induz a fase III do complexo motor de migração no intestino e modula a atividade contrátil do cólon. Recentemente, a trimebutina também tem sido demonstrada para diminuir os reflexos induzidos pela distensão do lúmen intestinal em animais e pode, por conseguinte, modular a sensibilidade visceral. Clinicamente, a trimebutina demonstrou ser eficaz no tratamento de ambas as dores abdominais, agudas e crônicas, em doentes com distúrbios funcionais do intestino, síndrome do intestino irritável, especialmente, em doses variando de 300 a 600 mg / dia. Também é eficaz em crianças com dor abdominal (DELVAUX, 1997).

A Síndrome do Intestino Irritável (SII) é uma das doenças gastrointestinais funcionais mais comuns, e é uma condição que pode levar a um comprometimento da qualidade de vida do paciente. Estudos mostram que o uso da Trimebutina melhora os sintomas e os efeitos psicológicos da Síndrome do Intestino Irritável (Dumitraşcu, 2006).

Uma avaliação feita com 50 pacientes com a síndrome, onde metade recebeu Trimebutina 100mg três vezes ao dia e a outra metade placebo, durante duas semanas, avaliou os sintomas da doença, a satisfação do paciente com o tratamento e a melhora psicológica. Os resultados mostram que as relações sociais dos pacientes melhoraram. Além disso, os sintomas de dor e inchaço tiveram uma melhora mais significativa com o uso da trimebutina que com o placebo. Náusea, diarreia, vómitos, anorexia, prisão de ventre, foram também melhorados pelo fármaco. O paciente apresentou um índice de satisfação de 8,1 + / -1,1 com trimebutina e 5,2 + / -3,5 com placebo (p <0,01). A pontuação  de satisfação do médico foi de 3,0 + / -0,7 com trimebutina e 2,2 + / -1,1 com placebo (p <0,02) . O estudo mostra que o uso da trimebutina é de grande valia não só para o tratamento dos sintomas, mas para o ajuste psicológico dos pacientes (Dumitraşcu, 2006).

SII

Karabulut e colaboradores (2013) investigaram a prevalência da síndrome, identificaram os sintomas, e examinaram a eficácia do maleato de trimebutina em 345 crianças e adolescentes. Para tal, os pais foram convidados a responder um questinário de acordo com os critérios Roma III (35 perguntas), para diagnostigar a SII. Metade dos pacientes diagnosticados com SII foram tratados com Trimebutina (3mg/Kg/dia) por 3 semanas, e o restante com placebo. Após 3 semanas, os pacientes e os pais foram reavaliados a respeito dos sintomas. A recuperação clínica foi observada em 94,9% dos pacientes do grupo que recebeu maleato de trimebutina, contra 20,5% de recuperação espontânea do grupo não medicado. A diferença foi significativa (P <0,0001). Assim, o uso da trimebutina mostra-se um tratamento eficaz em crianças.

Para observar a eficácia e as reações adversas ao medicamento maleato de trimebutina no tratamento de pacientes com dispepsia funcional (DF), coexistindo com diarréia dominante na síndrome do intestino irritável (SII-D), estudiosos dividiram 129 pacientes em 3 grupos. O grupo A foi tratado com maleato de trimebutina e bacillus licheniformis, o grupo B com apenas maleato de trimebutina e o grupo C com bacillus licheniformis. Os sintomas dos pacientes foram descritos com pontuação de classificação, e a eficácia do tratamento foi avaliada de acordo com as mudanças na pontuação dos sintomas. Os resultados mostram que houve diminuição nos sintomas em geral, dor abdominal nos grupos A e B, mas os resultados não foram significativos no grupo C. A diarréia diminuiu nos 3 grupos. A relação entre o custo e o efeito foi de 4,07, 1,19 e 6,65 para os grupos A, B e C, respectivamente, sendo o Grupo B o melhor. A taxa de reação adversa ao medicamento foi de 22,9% e 23,7% nos grupos A e B, e as principais reações adversas foram sede leve e prisão de ventre. Em uma avaliação geral, os resultados sugerem que o tratamento com maleato de trimebutina tem a vantagem de possuir alta eficácia, baixo custo e poucos efeitos adversos (ZHONG, 2007).

Fórmulas : Click Aqui

Conforme a RDC23/2008, art. 36 – Para a divulgação de informações sobre medicamentos manipulados é facultado às farmácias o direito de fornecer, exclusivamente aos profissionais habilitados a prescrever.

Para acessar as fórmulas é necessário solicitar a senha pelo email [email protected] ou para um de nossos Farmacêuticos.

A senha será liberada exclusivamente para profissionais habilitados a prescrever.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

DELVAUX M, WINGATE, D .Trimebutine: mechanism of action, effects on gastrointestinal function and clinical results. J Int Med Res. 1997 Sep-Oct;25(5):225-46.

DUMITRAŞCU DL, STĂNCULETE M. The effect of trimebutine on the psychosocial adjustment to illness in the irritable bowel syndrome. Rom J Intern Med. 2006;44(3):273-80.

KARABULUT , GS. et al. The Incidence of Irritable Bowel Syndrome in Children Using the Rome III Criteria and the Effect of Trimebutine Treatment. JNeurogastroenterol Motil. 2013 Jan;19(1):90-3. doi: 10.5056/jnm.2013.19.1.90. Epub 2013 Jan 8.

ZHONG YQ, ZHU J, GUO JN, YAN R, LI HJ, LIN YH, ZENG ZY.A randomized and case-control clinical study on trimebutine maleate in treating functional dyspepsia coexisting with diarrhea-dominant irritable bowel syndrome. Zhonghua Nei Ke Za Zhi. 2007 Nov;46(11):899-902.

Deixe uma resposta

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.