Arquivo de Tags: especies reativas de oxigenio

Fotoproteção Oral – Tratamento adjuvante à Fotoproteção tópica

A fotoproteção pode ser fornecida não só por bloqueadores da radiação UV, mas também por substâncias orais. Foram identificadas associações entre alimentos e câncer de pele, e substância orais que são foto protetoras em humanos. A radiação UV inibe a produção de ATP, causando uma crise energética, o que impede a imunidade ótima da pele e o reparo do DNA. Aumentar a produção de ATP com nicotinamida oral protege da imunossupressão causada pela radiação UV, aumenta o reparo do DNA e reduz a ocorrência de câncer de pele em humanos. As espécies reativas de oxigênio (ERO) também contribuem para o foto dano, mas pode-se proteger a pele com substâncias que possuem polifenóis em frutas, legumes, vinho, chá e alimentos que contém cafeína. Substâncias consumidas por via oral, seja por dieta ou por suplementos, pode influenciar as respostas cutâneas a radiação UV (CHEN et al., 2014).

Fotoproteção em cápsulas

Conteúdo é exclusivo para médicos e nutricionistas.

- Para ver o conteúdo deste artigo, você precisa efetuar o Login.
- Caso você não seja cadastrado, faça o registro.
- É obrigado preencher todos os campos do cadastro.
- Após análise do cadastro a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.

Novo tratamento para Periodontite

Conteúdo é exclusivo para médicos e nutricionistas.

- Para ver o conteúdo deste artigo, você precisa efetuar o Login.
- Caso você não seja cadastrado, faça o registro.
- É obrigado preencher todos os campos do cadastro.
- Após análise do cadastro a Farmácia Artesanal se reserva no direito de não autorizar o acesso ao conteúdo técnico.

Eficácia no tratamento da dislipidemia com fitoterápicos

A dislipidemia pode ser definida como a elevação dos níveis séricos do colesterol, triglicérides, LDL, enquanto os níveis de HDL permanecem baixos. Este desequilíbrio é considerado um fator de risco alto para induzir aterosclerose e doença cardiovascular (HARNAFI et al., 2008). Vários fitoterápicos tem mostrado eficácia no tratamento da dislipidemia.

Alcachofra

A Cynara scalymus, popularmente conhecida como Alcachofra, é um importante componente da dieta mediterrânea, e é rico em componentes fenólicos bioativos, inulina, fibras e minerais (QUINNA et al., 2012). Tem sido utilizada ultimamente pela medicina tradicional como um medicamento, para fins terapêuticos. Possui uma ampla aplicação, dentre elas a atividade protetora contra danos no DNA induzidos por agentes alquilantes tóxicos (JACOCIUNAS et al., 2013), tratamento de hepatites, hiperlipidemia, obesidade e desordens dispépticas (NASSAR et al., 2013).

A Alcachofra tem demonstrado através de vários estudos clínicos o seu efeito hipocolesterolemiante, com expressiva redução dos níveis de colesterol total e LDL, especialmente em pacientes com hipercolesterolemia leve (RONDANELLI et al., 2013).

Proteção celular e Mitocondrial – Coadjuvante na Prevenção da Doença de Alzheimer

Pirroloquinolina Quinona (PQQ)

A pirroloquinolina quinona (PQQ) está presente em plantas e células animais, e em muitos alimentos e fluidos biológicos (KOSMAN, et al., 2007). O PQQ possui notada ação antioxidante, cardio e neuro protetora, e tem demonstrado agir como um fator de crescimento para células e plantas, em uma variedade de organismos (CHOI, et al., 2008). Tem sido reportado que o PQQ melhora a reprodução, o desenvolvimento neonatal, e a função mitocondrial em animais por mecanismos que envolvem vias de sinalização mitocondrial , por isso pode contribuir para prevenção da doença de Alzheimer(BAUERLY, et al., 2011).

Potencial antioxidante e antiinflamatório do Hidroxitirosol

Inflamação

O hidroxitirosol isolado do óleo de oliva extra virgem, possui uma marcada atividade antioxidante e boa ação na eliminação dos radicais livres. Foi examinado o mecanismo antiinflamatório do HT medindo a indução de óxido nítrico sintase (iNOS), expressão de cicloxigenase-2 (COX-2), formação de TNF-α e liberação de óxido nítrico em células monocíticas humana, induzida. Os resultados do trabalho mostram que o HT possui uma marcada supressão da indução de liberação de NO pelo LPS, que é significativamente atenuado pela transcripção de TNF- α, iNOS e COX-2 dependente da dose. Além disso, foi encontrado que o HT, de maneira dependente da concentração, inibiu a expressão de iNOS e COX-2 de células monocíticas humanas. Em conjunto, estes sugerem que o HT exerce um efeito antiinflamatório, provavelmente, pela supressão de COX-2 e iNOS (ZHANG, et al., 2012).

Oli olá: Utilizado no tratamento de melasma com resultados impressionantes

Desenvolvido pela Nexira health, Oli-OlaTM é um extrato padronizado do fruto da oliveira, com 3% de hidroxitirosol, um polifenol com potente ação antioxidante. Segundo estudos, Oli-OlaTM é capaz de promover efeito peeling na pele, como os peelings químicos.Resultados impressionantes no tratamento de melasma. Oli-Ola é capaz de agir na pele potencializando os tratamentos com aparelhos, cosméticos e peelings

Glutamina: Terapia Nutricional nas Doenças Inflamatórias Intestinais e Modulação do Sistema Imune

O tratamento de câncer está associado a efeitos colaterais a longo e curto prazo. O câncer produz um estado de deficiência de glutamina, que é ainda agravado pelos efeitos tóxicos dos agentes quimioterapêuticos, que conduzem a um aumento da tolerância do tumor a quimioterapia, bem como reduz a tolerância aos seus efeitos secundários. A suplementação com glutamina tem mostrado exercer uma proteção contra a mucosite, induzida pela radiação, contra a cardiotoxicidade induzida por antraciclina, e mialgia/artralgia relacionada ao tratamento com Paclitaxel. A glutamina pode prevenir a neurotoxicidade causada pelo Paclitaxel, cisplatina, oxaplatina bortezomibe e lenolidamida, e é benéfica na redução dos efeitos tóxicos gastrointestinais da dose-limitante de irinotecano (GAURAV, et al., 2012).

Alternativas para o tratamento da Fibromialgia

A fibromialgia (FM) é uma Síndrome de dor crônica que afeta até 5% da população mundial. Clinicamente é caracterizada pela presença de dor difusa e pontos de hipersensibilidade, detectados por exame físico, e geralmente é acompanhado por fadiga, sono e transtornos de humor. O tratamento da FM inclui terapia não farmacológica e farmacológica. Muitos pacientes respondem bem ao exercício físico, e até 50% dos casos respondem adequadamente ao tratamento com antidepressivos tricíclicos, tal como baixas doses de amitriptilina. Vários outros fármacos utilizados em estudos controle têm mostrado aliviar os sintomas da FM, incluindo fluoxetina, duloxetina, milnacipran, ciclobenzaprina, gabapentina, pregabalina e tramadol. Estudos recentes mostram que a medicina alternativa, com Panax ginseng, tem mostrado uma alternativa para o tratamento da doença (BRAZ, et al, 2013).       

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.